Para quem prefere viajar na História do que viajar em História!

Já escutei a seguinte frase mais de uma vez da boca de meus alunos: "Lucas, to viajando em História!"


A frase é bem interessante, pois pode permitir muitas interpretações, se está fora de contexto. A primeira delas é que o aluno não está compreendendo bem o conteúdo, pode ter alguma dificuldade, pois nem sempre o tempo das aulas dá conta de tirar todas as dúvidas. Por isso, existe a necessidade de se colocar-se em contato o máximo possível com o conteúdo.


Porém há outro sentido, que é o meu preferido, quer dizer que está gostando muito do conteúdo. O assunto é interessante, o debate em sala acrescenta algo a mais no seu dia e na sua vida.


Por isso, procuro fazer a diferenciação entre viajar em História e viajar na História.


Pessoalmente, tenho muitas viagens pessoais. Todo mundo tem as suas. Viajo na música, na arte, no cinema, na poesia, mas minha maior viagem é na História. Por isso, esse blog procura fazer a conexão entre nossas viagens pessoais e nossa história.


Pode chegar! Simplesmente empurre a porta e entre!


Sente onde quiser! Afinal de contas, a casa é sua!



terça-feira, 31 de maio de 2011

Akhenaton – O Faraó Herege

[Texto adaptado de: http://www.misteriosantigos.com/pagina12.htm - Chequem o site]
Amenófis IV, filho de Amenófis III, foi coroado faraó aos 15 anos de idade, assumindo o poder e co-regência com seu pai, numa época em que Egito vivia uma situação interna tranqüila e de grande prosperidade. Seu reinado durou 13 anos (1.370 à 1.357 a.C.). Amenófis III morreu no 12o ano do reinado de Akhenaton.
Durante os oito anos do período de co-regência, Amenófis III pode passar ao filho toda sua experiência e também servir de apoio para as grandes mudanças promovidas por ele. É o pai também quem controla a impetuosidade do filho, evitando um confronto com o clero de Tebas antes que tivessem sido lançadas as bases da "revolução amarniana". O jovem Amenófis IV acredita que um ideal justo sempre triunfa, mas aprende com o pai a ser paciente.
Sua mãe, que viveu durante os seis primeiros anos de seu reinado, foi responsável pela estruturação das tendências místicas de Amenófis IV, fazendo com que ele se aproximasse da parte do clero que estava ligada aos antigos cultos do Egito, onde Aton era o deus maior.
Assim, durante os quatro primeiros anos de seu reinado, Amenófis IV vai, lentamente, se afastando de Tebas e amadurecendo a idéia de um Deus universal. Ao final deste período, ele inicia a grande revolução. Proclama sua intenção de realizar a cerimônia religiosa de regeneração - denominada "festa-sed" na qual o faraó "se recarrega". [Além disto, o poder dos sacerdotes de Amon vinha crescendo e eles, pouco a pouco, ficavam mais influentes. Portanto, além da piedade do faraó, havia também motivações politicas.]
Para este ritual mágico, manda construir um templo para Aton e adota o nome de Akhenaton (que significa, aquele que ama Aton). O significado destes atos é profundo dentro da cultura egípcia. O faraó indicava claramente que Aton passava à condição de deus do Egito, rompendo com os sacerdotes de Tebas.
No templo de Aton, pela primeira vez, o deus não tinha rosto, sendo representado pelo Disco Solar. Aton era o sol que iluminava a vida de todos. Imediatamente passa a ser conhecido como o faraó herético. 
Não se pode entender a obra de Akhenaton sem se conhecer a figura de sua esposa, Nefertiti, a bela que chegou, bem como a figura de seus pais e Amenhotep. Segundo os historiadores, era uma mulher de rara beleza. Nefertiti, egípcia, pertencia a uma grande família nobre.
Não seria ela, no entanto, quem o futuro faraó deveria desposar, o que novamente indica a independência da família real em relação aos usos e costumes impostos à corte.
O casamento, porém, se deu quando Amenófis IV tinha, aproximadamente 12 anos, sendo que Nefertiti era ainda mais jovem que ele. Akhenaton e Nefertiti acabaram por transformar seu casamento estatal em um casamento de amor.
São muitas as cenas de arte que retratam o relacionamento carinhoso entre eles, o que, por si só, mostra a intensidade deste relacionamento, uma vez que não era comum na arte egípcia a expressão destes sentimentos. Com efeito, Akhenaton e Nefertiti são, até hoje, citados como exemplo de um dos casais românticos mais famosos da história.


AMARNA, A NOVA CAPITAL DE ATON
Fundou assim a cidade de Tell el Amarna que significa O Horizonte de Aton, portanto, A Cidade do Sol. Estava localizada perto do Nilo, portanto, perto da linha da vida do Egito e a meio caminho entre Mênfis e Tebas, ou seja, simbolicamente seria o ponto de equilíbrio entre o mundo material e o mundo espiritual.
Amarna não é uma cidade comum, mas o símbolo de uma nova forma de civilização, onde as relações humanas, desde a religião até a economia, achavam-se modificadas. Foi uma maneira de dar uma forma inteligível de suas idéias para os homens. Foi o teatro de uma tentativa fantástica de implantação do monoteísmo.


A ARTE DURANTE O PERÍODO
[A arte egípcia é conhecida pela sua constância durante muitos milênios. Ou seja, ela muda muito pouco ao longo dos anos. É caracterizada por uma rigidez nos movimentos das estátuas e pinturas, além de uma representação do faraó sempre divina e pouco natural. Essa arte, porém, muda muito durante o período em que Akhenaton assume o poder.]
A arte egípcia foi particularmente influenciada durante o reinado de Akhenaton, sendo historicamente classificada como a Arte Amarniana. De forma extremamente inovadora para a época, ela registra a visão que o faraó tinha do homem e do universo. Pela primeira vez surgem obras mostrando a vida familiar, o que vem ao encontro da concepção de Akhenaton de que o fluxo divino passa obrigatoriamente pelo organismo familiar. Em algumas obras, aparecem também membros da família real nus, como indicação da necessidade da transparência interior. Este tema da transparência do ser está presente na mística universal.
Akhenaton permitiu que se registrasse em obras de arte, cenas da intimidade da vida da família real, o que jamais fora feito antes. Também são muito utilizados temas onde aparece a natureza, fauna e flora, considerados a grande dádiva da vida vinda de Aton. Outro aspecto relevante é a representação do faraó com aspectos nitidamente femininos, o que indicava ser ele, como filho do sol, origem da vida para o Egito, e portanto, ao mesmo tempo pai e mãe de seus súditos. A história classifica estas representações como as do Akhenaton teológico.


Vídeos no YouTube:
Akhenaton - Vídeo produzido pelo History Channel

Parte 1
Parte 2:

Coloco aqui um link interessante, o poema ao Sol, feito por Akhenaton:

http://www.ceuaustral.pro.br/poemaaosol.htm



12 comentários:

Yasmin disse...

Professor eu vi ums videos das pirâmides do egito na Discovery Channel,e queria lhe mostrar são os seguintes:
Parte 1:http://www.youtube.com/watch?v=OhpPKCK_Qgs
Parte 2:http://www.youtube.com/watch?v=BeMCwGBAvHI&feature=related
Parte 3:http://www.youtube.com/watch?v=si21Tp_0lXQ&feature=related
Parte 4:http://www.youtube.com/watch?v=iwb2fCaaO1w&feature=related
Parte 5-final:http://www.youtube.com/watch?v=d_hATGuTOYk&feature=related

Lucas Holanda disse...

Muito legal, Yasmin! Já postei aqui no Blog! Continue sempre trazendo suas contribuições!

Yasmin disse...

Eu vi o Post,valeu,vou fazer isso mais vezes.

dudaporica disse...

professor achei uns videos bem legais sobre
construindo o egito
Resolvir postar
parti 1

http://www.youtube.com/watch?v=6ZFoH2hi2x8&feature=related

partir 2

http://www.youtube.com/watch?v=uzrf7-jCLdo&feature=related

partir 3

http://www.youtube.com/watch?v=uzrf7-jCLdo&feature=related

partir 4

http://www.youtube.com/watch?v=ZNRZn59jtUs&feature=related

partir 5

http://www.youtube.com/watch?v=UmBuSik5OOs&feature=related

partir 6

http://www.youtube.com/watch?v=W62DrbCsm-4&feature=related

partir 7
http://www.youtube.com/watch?v=EAi5Qj86Yoc&feature=related

partir 8

http://www.youtube.com/watch?v=kZPIgZbRCa8&feature=related

partir 9

http://www.youtube.com/watch?v=QXQ3tHn8xSg&feature=related

partir 10 final

http://www.youtube.com/watch?v=6YMU3C_ypIk&feature=related

espero que gostem**

Duda Pancrácio disse...

Prof* eu tbm vi a escrita dos egipcios:

http://www.youtube.com/watch?v=aGytut6ar8w

Lucas Holanda disse...

Massa, galerinha!

max disse...

professor achei muito legal os videos sobre o egito, que vai me ajudar muito na prova

Yasmin disse...

Professor Lucas,Akhenaton só foi odiado pelo seu povo pelo fato de ele ter mandado todos acreditarem em um só deus(Aton),oque desrespeitava a religião deles(politeísta).Certo?

Maria disse...

prof o senhor corigiu duas questões minha erradas eu mostro ao senho terça viu!

Arthur disse...

Professor, no livro, fala sobre Akhenaton? Ou só fala no blog? Não achei sobre ele no livro.

max disse...

professor muito legal os videos sobre akhenaton

max disse...

akhenaton so pensso e si mesmo por causa disso que ele acabo sendo odiado pelo povo